Cabisbaixos

A tristeza não é tão má:
nos faz sentir,
nos faz pensar.
Só faz crescer,
mas faz chorar:
alívio à mágoa,
da guerra, a trégua
se tristes
travam-se
batalhas,
mortalha
aos egos,
sossego
ao fogo.

Para pisar,
não se erguem
os cabisbaixos,
os desiludidos
que bem sabem
padecer,
perdoar
pra sobreviver.

Segredo

O amor é uma máquina do tempo,
eterno mesmo que por um segundo;
passeando livre em cada momento,
fazendo rir das voltas do mundo.

Levando ao passado para perdoar,
ou trazer do ser a própria cura.
Sonhando o futuro pra inspirar,
e tornar a vida presente, pura.

Este é o amor em cada pulmão,
construído em cada coração;
na paisagem de quem vê,
na alegria de viver;
em cada traço da natureza viva,
em todo ato que o incentiva.